27 de novembro de 2009

O CASAMENTO DA VASSOURA

O CASAMENTO DA VASSOURA
     Marlene B. Cerviglieri

            Ali guardadinha estava a vassoura num cantinho do armário. Às vezes a tiravam e dançava muito pela casa ou quintal, ficando até tonta de tanto ir pra lá e pra cá. Mas depois ficava no cantinho até tristonha mesmo.         Um dia, porém, ouviu uma vozinha que a chamava:
            - Dona Vassoura, oh dona vassoura está me ouvindo?
            - Sou eu, a dona Pazinha aqui do outro lado.
            - Sim, estou ouvindo - disse a Vassoura até meio assustada.
            - Tenho um recado para a senhora, do senhor Rodo.
            - De quem?
            - É do senhor Rodo.
            - Ele mandou lhe dizer que gostaria de casar com a senhora!
            - O que devo responder a ele?
            - Ora - disse a Vassoura, pega de surpresa - Eu casar com o senhor Rodo?
            - É sim. Pense e depois me dê a resposta, é só me chamar.
            Dona Vassoura ficou inquieta, pensou, pensou...
            - Sozinha aqui pelo menos vou ter um companheiro, nada tenho a perder, até que ele é bem simpático, pois já o vi algumas vezes brincando na água.
            Mais tarde a noitinha dona Vassoura chamou dona Pazinha e disse-lhe:
            - Bem diga a ele que aceito, mas como será o que vamos fazer?
            - Não se preocupe nós vamos arranjar tudo para o casamento.
            E assim foi.
            Fizeram primeiro, a lista dos padrinhos e convidados.
            - Ouça dona Vassoura, os padrinhos de seu casamento serão: o senhor Balde e eu. As daminhas serão as Flanelinhas que estão todas felizes pelo evento.
            - O senhor Papel Higiênico ficou de enfeitá-la e fará uma grinalda bem linda, ele prometeu.
            - O ambiente será todo perfumado, pois, os Senhores Desinfetantes se incumbirão de fazê-lo. - No mais, todos os outros moradores deste armário vão contribuir. Os senhores Panos de Chão, os Tapetes, até o Sr Desentupidor irá colaborar.
            - Pelo jeito já está tudo combinado, não é mesmo dona Pazinha?
            - É sim. Vamos marcar para a próxima noite, certo?
            - Sim, combinado.
            A noite veio e o casamento foi realizado com muita simplicidade. Dona vassoura toda enfeitada. O noivo, Senhor Rodo, com a ajuda do Senhor Pano de Chão, estava muito bem enrolado, muito elegante.      Os convidados estavam felizes e a festa foi até de madrugada.
            No dia seguinte, quando foi aberto o armário, estava tudo diferente!
            - O que aconteceu aqui? Pensou a dona da casa...
            A vassoura toda enfeitada de papel higiênico, o rodo fora do lugar...
            Fechou a porta do armário e esqueceu o assunto, mas que era estranho era...
            Lá dentro os convidados começavam acordar da festa de ontem, ou seja, do casamento da Vassoura...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VOTAÇÃO TOP 30/2014