19 de outubro de 2009

Dengue: Os ovos

Os ovos do mosquito podem sobreviver mais de um ano, (até 400 dias) em ambiente seco, enquanto esperam a estação seguinte de chuvas para formar novas larvas.
         A grande maioria das infecções é assintomática. Calcula-se que em cada dez pessoas infectadas apenas uma ou duas fiquem doentes.
         Portanto, na hipótese de uma epidemia com 100 mil casos de dengue diagnosticados, existirão cerca de 1 milhão de infectados.
         Quando surgem, os sintomas costumam evoluir em obediência a três formas clínicas: dengue clássica, forma benigna, similar à gripe; dengue hemorrágica, mais grave, caracterizada por alterações da coagulação sanguínea; e a chamada síndrome do choque associado à dengue, forma raríssima, mas que pode levar à morte se não houver atendimento especializado.
         O período de incubação (da picada ao aparecimento dos sintomas) geralmente dura de 2 a 7 dias, mas pode chegar a 15 dias.
         A intensidade dos sintomas geralmente é mais leve nas crianças do que nos adultos. A doença é de instalação abrupta, indistinguível dos quadros gripais: febre intermitente de intensidade variável (que pode chegar a 39 graus e provocar calafrios), cefaléia, dores na região atrás dos olhos, nas costas, pernas e articulações.
         Muitos pacientes se queixam de dor ao movimentar os olhos, cansaço extremo e fraqueza muscular generalizada. Insônia, náuseas, perda de apetite, perversão do paladar e da sensibilidade da pele são freqüentes. Faringite e inflamação da mucosa nasal ocorrem em 25% dos casos.

 b) LARVA: é o período de alimentação e crescimento; possuem aspecto vermiforme, sifão
curto, grosso e mais escuro que o corpo; possuem 4 estádios evolutivos. A duração desta fase depende da temperatura e da alimentação, em média dura 7 dias; sensível a movimentos bruscos na água, luz / sombra.

a)    PUPA: último estágio da fase aquática; possuem o aspecto de vírgula e são bastante móveis quando perturbadas; seu corpo escurece a medida que se aproxima o momento da emergência do adulto; esta fase dura de 2 a 3 dias; durante esta fase a pupa não se alimenta

d) ADULTO: fase de reprodução e dispersão do inseto; o corpo é escuro, com faixas brancas nas bases dos segmentos tarsais e possui um desenho em forma de lira no mesonoto; 24h após emergirem, podem acasalar. O acasalamento pode se dar durante o vôo ou pousados sobre uma superfície; O repasto sanguíneo das fêmeas fornece proteínas para o desenvolvimento dos ovos. Ocorre nas primeiras horas do dia e ao anoitecer. O macho alimenta-se de carboidratos extraídas dos vegetais.
         A fêmea faz uma postura após cada repasto sanguíneo. O intervalo entre a alimentação e a postura é de 3 dias. A postura se dá geralmente no fim da tarde. A fêmea é atraída por recipientes sombreados ou escuros, com superfície áspera. Prefere água limpa. Distribui cada postura em vários recipientes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VOTAÇÃO TOP 30/2014